O QUE VOCÊ ENCONTRA NAS ESCOLAS ESTADUAIS

Escola Aberta

INTEGRAÇÃO COM A COMUNIDADE

O Programa apoia a abertura, nos sábados e domingos, de escolas localizadas em territórios de vulnerabilidade social. A ideia é incentivar a criatividade nos finais de semana para ocupar o espaço escolar com atividades educativas, culturais, esportivas – ações que promovam a formação dos jovens e a integração da escola e da comunidade. Atualmente, o Escola Aberta abrange 1.684 unidades escolares públicas nas 47 Superintendências Regionais de Ensino (SREs) do Estado.

Educação Integral e Integrada

TECNOLOGIA, CIÊNCIAS, CULTURA E ARTE

Hoje, Minas Gerais conta com 2.015 escolas que oferecem Educação Integral e Integrada, com a participação de 147.918 estudantes. São atividades em diversas áreas, como esporte, artes plásticas, dança, música, teatro, informática, dentre outros, que complementem o conhecimento tradicional acessado pelos estudantes por meio da ampliação da jornada escolar. Além disso, a educação integral realiza o acompanhamento pedagógico dos alunos e a orientação nos estudos.

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL

UMA AULA PARA O MUNDO DO TRABALHO

Os mais de 35.000 estudantes matriculados em Cursos de Educação Profissional mostram que a educação profissional vive uma nova fase em Minas Gerais.

Presente em 107 escolas estaduais, a Rede Estadual de Educação Profissional disponibiliza cursos em diversas áreas nas 47 Superintendências Regionais de Ensino (SREs), beneficiando mais de 15.000 jovens. Um total de 2.180 alunos estuda nos Centros de Educação Profissional (CEP) e outros 400 estudantes são atendidos via parcerias (FIEMG-Escola Móvel).

Os cursos técnicos incluem Administração, Agente Comunitário de Saúde, Cooperativismo, Informática, Informática para Internet, Logística, Marketing, Recursos Humanos, Secretaria Escolar, Secretariado, Serviços Públicos, Transações Imobiliárias, Enfermagem e Massoterapia.

Há ainda a oferta de Curso Normal em Nível Médio, que hoje conta com 17.827 alunos matriculados.

Escolas
sustentáveis

SUSTENTABILIDADE EM CONSTRUÇÃO

O Escolas Sustentáveis envolve todos os investimentos em infraestrutura, mobiliário, conectividade, transporte e alimentação escolar e tem o objetivo de garantir um ambiente escolar saudável e capaz de promover o aprendizado dos estudantes. Além disso, pretende garantir recursos às escolas mineiras que possam implementar adequações de infraestrutura com foco na sustentabilidade ambiental.

Um destaque vai para as obras de infraestrutura. Desde 2015, o Governo de Minas Gerais faz um esforço para mudar o quadro atual da estrutura física das escolas da rede.

Ensino Médio Noturno e Educação de Jovens e Adultos

AFINADO COM A REALIDADE DA JUVENTUDE

Com uma política educacional voltada para o atendimento do jovem, a Secretaria de Estado de Educação ampliou no ano passado as turmas de Ensino Médio no noturno e de Educação de Jovens e Adultos (EJA). Além disso, alterou o conteúdo curricular para melhor se adaptar à realidade de quem estuda à noite.

Tanto na EJA quanto no Ensino Médio Noturno foi introduzida uma nova uma nova disciplina “Diversidade, Inclusão e Mundo do Trabalho (DIM)”, que estimula a produção de projetos de inclusão ao mercado de trabalho.

Com duração de 45 minutos por semana, a DIM é ministrada de forma conjunta por professores de Matemática, Linguagens e Códigos, Ciências da Natureza e Humanas. A ideia é aliar o conhecimento à prática, elaborando projetos que conciliem as potencialidades dos alunos às necessidades do ambiente de trabalho ou estágio.

As mudanças também introduziram uma vantagem extra quanto aos horários. Além da configuração uma nova grade com quatro disciplinas por dia (além da DIM, semanal), em 2017 as aulas passaram a ter início mais tarde – às 19h - e a terminar mais cedo – às 22h14 - para atender àqueles que trabalham em jornada integral.

Educação Especial


DIVERSIDADE E INCLUSÃO

A Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais trabalha para que a oferta do ensino seja universal, inclusive para os alunos com deficiência. Para garantir todo o suporte ao estudante com transtornos globais do desenvolvimento ou altas habilidades/superdotação, as escolas oferecem o atendimento educacional especializado, que tem por objeto possibilitar a participação plena do estudante na escola, o melhor aproveitamento de suas potencialidades e de seu processo de aprendizagem.

A política de inclusão envolve, também, a acessibilidade arquitetônica e tecnológica, capacitação de educadores e a formação de redes de apoio.

AfroConsciência


COM ESTA HISTÓRIA A ESCOLA TEM TUDO A VER

A Campanha AfroConsciência tem o objetivo de fomentar, por meio de diferentes iniciativas, ações escolas para a superação do preconceito racial, na busca pelo reconhecimento e valorização da história e da cultura dos africanos na formação da sociedade brasileira, além de iniciativas que enfrentem o racismo e promovam a igualdade racial no âmbito educacional no Estado.

A base da Campanha AfroConsciência é a Lei nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003, que tornou obrigatório o ensino de história e cultura afrobrasileira nos estabelecimentos de ensino fundamental e médio, oficiais e particulares no Brasil.

Dentro desta perspectiva, a Secretaria de Educação está criando nas escolas estaduais os Núcleos de Estudos Africanos e Afrobrasileiros e da Diáspora (NUPEAAs) “Ubuntu: educando para as relações étnico-raciais”. Os Núcleos funcionarão nas 47 Superintendências Regionais de Ensino (SREs), com previsão de criação de cinco unidades por regional, e serão abrigados em escolas chamadas de “Escolas Polo”.

AÇÕES DA EDUCAÇÃO POR TERRITÓRIO DE DESENVOLVIMENTO

Saiba mais